Nas Bancas à 4ª feira
Facebook
 

Edição:

| Ano |

Error parsing XSLT file: \xslt\NTS_XSLT_Menu_Principal.xslt

Edição nº 1630 - 18 de março de 2020

PILOTO ALBICASTRENSE FUNDADOR DA ESCUDERIA CASTELO BRANCO
Morreu Francisco Romãozinho, o Senhor Boca de Sapo

O piloto Albicastrense Francisco Romãozinho morreu na passada quinta-feira, 12 de março, aos 76 anos.
Francisco Romãozinho, que cumpriria 77 anos no próximo dia 28 de março, era natural de Castelo Branco e era um dos sócios fundadores da Escuderia Castelo Branco (ECB).
Ao longo de uma extensa carreira no desporto automobilístico, entre 1962 e 2004, notabilizou-se nos ralis, mas também na velocidade, tendo igualmente passado pelo todo-o-terreno.
Francisco Romãozinho tinha no seu palmarés a vitória no Rali Internacional TAP, em 1969, ao volante de um Citroën DS 21, o mítico Boca de Sapo, tendo como navegador João Canas Mendes, mais conhecido como Jocames. A participação desse ano no Rali está de resto está imortalizada na banda desenhada, num dos álbuns de Michel Vailant, da autoria de Jean Graton, alusivo ao Rali de Portugal.
Também em 1969 sagrou-se Campeão Nacional de Velocidade, aos comandos de um BMW 2002 Ti de Grupo 1.
Francisco Romãozinho contava também no seu palmarés com o terceiro lugar no Campeonato do Mundo de Ralis, em 1973.
De destacar que Francisco Romãozinho foi o primeiro Português a pilotar um carro oficial, mais concretamente um Citroën DS 21.
De resto o piloto Albicastrense ficou conhecido pelos êxitos alcançados ao volante deste modelo da marca francesa, pelo que no meio do desporto automóvel era conhecido como o Senhor Boca de Sapo. O Boca de Sapo era um modelo que conhecia profundamente, tendo conduzido várias versões, como o ID 20, o DS 21, O DS 21 Proto Chassis Court e o DS 21 Proto Coupé Groupe 5.
Mas a sua ligação à marca do double chevron estendeu-se a outros modelos, como o Citroën GS, o Citroën CX e o Citroën Visa, nas versões SX, Trophée e Chrono.
Francisco Romãozinho, ao longo da sua vida, esteve sempre ligado ao mundo automóvel, assumindo o cargo de diretor comercial e de marketing da Citroën, entre 1970 e 1989; admi- nistrador executivo da SIVA, entre 1990 e 1997; e presidente para Portugal da Fiat, entre 2002 e 2005.
Ainda nesta vertente administrou a concessão da Fiat e da Alfa Romeo, a BeiraStrada, em Castelo Branco.
Já noutra área, era o presidente do conselho de administração dói Monte da Várzea, que tinha adquirido em 1974,sendo que o Empreendimento Turístico Monte da Várzea se localiza, em Alvega, no Concelho de Abrantes.
O presidente da Escuderia Castelo Branco (ECB), António Sequeira, confrontado com a morte de Francisco Romãozinho, afirmou que “é um momento de tristeza, porque era o nosso sócio fundador 22” e acrescentou que “não o conheci pessoalmente”, assegurando que “é um nome que fica perpetuado na nossa associação, por ser sócio fundador”.
António Tavares

18/03/2020
 

Outros Artigos

Em Agenda

 
17/07
18/07
Rui Massena Trio sobe ao palco Cine-Teatro Avenida, Castelo Branco

Gala Troféu Gazeta Atletismo 2018

Castelo Branco nos Açores

Video